Rés-do-chão

 

 

[TSF]

O corpo da cantora Cândida Branca Flor, que foi autopsiado ontem, quinta-feira, encontra-se há 24 horas no Instituto de Medicina Legal (IML) porque ninguém aparece para o reclamar, afirmou à Lusa uma fonte daquela instituição.
A situação é no mínimo insólita, e já foi confirmada pela editora que gravou o seu último trabalho, a Sucesso.

 

 

 

Tanto a Sucesso como o IML, garantem que até ao momento não foram contactados nem por familiares nem por amigos da cantora, encontrada morta quarta-feira na sua casa, em Massamá. Quanto à família da cantora, resume-se à mãe, muito idosa com mais de 90 anos, e vive num lar no Alentejo. […]
O resultado da autópsia não pode ser revelado, visto estar em segredo de justiça. Aparentemente, tudo indica que a cantora se terá suicidado com álcool e comprimidos.

 

 

 

[NetParque]

[…]

O NetParque apurou junto da Aqui Há Música – Produção de Espectáculos, empresa de agenciamento de Cândida Branca Flor, que será rezada uma missa, pelas 13h30 de sábado, antes da saída do corpo da cantora da igreja para a sua última morada.
Segundo a mesma fonte, a notícia da Agência Lusa dizendo que o corpo permaneceu 24 horas no Instituto de Medicina Legal sem ser reclamado “é falsa e alguém terá de responder por ela”. O corpo de Cândida Branca-Flor foi reclamado por uma sobrinha, que se encontra a tratar de todo o processo relacionado com o enterro.

 

 

 

 

[NetParque]

A cantora Cândida Branca Flor foi encontrada morta em sua casa, em Massamá, na tarde de quarta-feira, 11 de Junho. Tinha 51 anos e 25 de carreira.
A notícia, avançada pela edição online do jornal “Público”, foi confirmada ao NetParque pelos Bombeiros de Queluz, entidade que recebeu uma chamada, às 16h21, a alertar para a existência de uma vítima de paragem cardíaca.
De acordo com a Agência Lusa, a chamada foi realizada por amiga de Cândida Branca Flor que, estranhando o facto de a cantora não atender o telefone, se deslocou à residência, de que possuía uma chave. […]

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ao NetParque, a editora Sucesso e a empresa de agenciamento da cantora, Aqui Há Música, afirmaram, ao início da noite, não ter conhecimento do facto.
Cândida Maria Coelho Soares Rosado, nascida a 12 de Novembro de 1949, vivia sozinha em sua casa e a única família que tinha era a sua mãe.
Foi na televisão que Cândida Branca Flor se revelou, em 1976, ao lado de Júlio Isidro na apresentação do “Fungagá da Bicharada”. Nesse mesmo ano, a sua voz chamou a atenção no álbum “Coisas do Arco da Velha” da Banda do Casaco (ainda com o nome Cândida Soares).
Mas foi só mais tarde que Cândida Branca Flor (nome adoptado a partir de uma canção da Banda do Casaco) se lançaria como cantora, exactamente com a edição da banda sonora do “Fungagá da Bicharada”.
Em 1978, Branca Flor participou pela primeira vez no Festival RTP da Canção com “A Nossa História de Amor”, antes de regressar por duas vezes ao mesmo Festival, ao lado de Carlos Paião, com quem cantou dois dos seus maiores êxitos – “Trocas e Baldrocas”, em 1982, e “Vinho do Porto”, em 1983.
Ídolo das crianças de finais de 70 e inícios de 80, Cândida Branca Flor editou oito discos entre 1978 e 1993, sempre com um piscar de olhos ao público infantil. Do seu vasto repertório popular e romântico contam-se ainda as muitas interpretações de canções de Beatriz Costa.
Nos últimos anos, Cândida Branca Flor colaborou com muitos outros nomes da música popular e deu numerosos espectáculos para as comunidades de emigrantes portugueses no estrangeiro, sobretudo nos Estados Unidos da América, Canadá, África do Sul e Austrália.

 

 

 

 

 

 

 

 

[Oeste Diário]

[…]

O último espectáculo da cantora Cândida Branca Flor, encontrada morta em sua casa na quarta-feira, dia 11 de Julho, foi em Pero Negro (concelho do Sobral do Monte Agraço), no sábado anterior.
A cantora Cândida Branca Flor, de 51 anos, foi encontrada morta em sua casa, em Massamá, na quarta-feira, dia 11 de Julho. Aparentemente terá sido suicídio, mas as entidades policiais não confirmaram ainda esta hipótese.
O ultimo concerto que a artista deu foi no sábado anterior, dia 7 de Julho, no concelho do Sobral do Monte Agraço. Cândida Branca Flor actuou no pavilhão gimnodesportivo do Clube Desportivo e Recreativo de Pero Negro, onde esteve com as suas bailarinas e o seu amigo e também cantor Luís Portela.
A carreira de Cândida Branca Flor não estava a correr bem. Exemplo disso é o facto de no espectáculo realizado em Pero Negro só terem estado presentes cerca de 30 pessoas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

[Redacção noticiosa da rádio TSF de 13 de Julho de 2001 & locais online Netparque
& Oeste Diário]

fotos Remax, busca em: Massamá, apartamentos, venda (todas as zonas).

 

Advertisements

15 thoughts on “Rés-do-chão

  1. A Cândida como todas as mulheres que vive só foi alvo das “artes e ofícios” de boa gente que vive á custa de poder. Os infelizes ganham mal e agradecem assim em Portugal – Isolam para reinar com mentiras acerca das vidas alheias. É o resultado do trabalho dos agentes de autoridade e comunicação social pelas ondas rádio designados , agentes de segurança (PIDE) empregando advogados, polícias e ladrões.

  2. Uma pena, realmente ser artista em portugal não vale de nada, candidea uma mulher com belas músicas, acabar assim com a vida, adorava a musíca dela «trocas e baldrocas»

  3. Pingback: A morte de Cândida Branca Flor « El-Magnifico.eu

  4. adora-va as cançoes da CANDIDA,foi uma grande perda ,mais triste foi tanbem a causa da sua morte .que sejas mais feliz no céu.porque sofres-te muinto ca neste mundo .para sempre sera recordada com carinho.

    • AINDA TENO NA MEMORIA E SOU NOVO A TUA ULTIMA MUSICA:QUERO VOLTAR A SER FELIZ!OBRIADO POR TERES EXISTIDO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
      ENCONTRAMO-NOS POR AÍ!

  5. o comentario do outro anonimo q disse antes dela do que eu. pois eu nao ligo a esse tipo de comentarios e e um ditado portugues mas nao é para ser usado assim e foi pena ela nao ter procurado ajuda ou entao os bombeiros chegarem a tempo q depois davam ajuda como a sonia brasao q ja esta a ser tratada q ate mente so para nao pagar os prejuizos e nao ser presa.

  6. Eramos muito muito amigos,fizemos muitos espectáculos juntos. Amo-te Cândida e tú sabes. Descansa junto de Deus e Ele sabe quanto injustos foram para ti.

  7. Santo Deus…
    Se a estupidez fosse alvo de algum imposto, muitos estariam a pedir empréstimos bancários para manter as contas em dia. Alguns comentários mostram o quanto precisamos de crescer como país.
    A Cândida Branca Flor foi uma cantora que foi explorada como tantos outros e “descartada” quando deixou de faturar. Quer queiramos quer não, é a saga da maioria dos artistas em Portugal. Temos de a respeitar e à sua obra, não esquecendo que na época em que viveu o acesso aos palcos não era para qualquer um, como agora.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s